logo IMeN

Colestase induzida por nutrição parenteral (CINP) – o papel das vitaminas e oligoelementos

Independentemente da etiologia da doença hepática, é comum evidenciar a deficiência de vitaminas lipossolúveis, particularmente das vitaminas A e D, nos pacientes com comprometimento hepático avançado, por perda da capacidade de acúmulo no órgão. Em razão disso, a identificação e correção desses desvios é recomendada.

Há poucos estudos que respaldam a retirada de cobre, manganês das soluções de NP como estratégia profilática na gênese da CINP. Entretanto, quando na presença de colestase, a excreção desses elementos é reduzida sendo acumulados no organismo. Nestes casos, o monitoramento desses oligoelementos é recomendado devido a uma possível associação ao risco de exacerbar a injúria.

Legenda: NP, nutrição parenteral; CINP, colestase induzida por nutrição parenteral


Referência Bibliográfica

Strasser SI, Vidot H. Nutritional considerations in end-stage liver disease. J Gastroenterol Hepatol. 2011;26:1402–1410.

Rangel SJ, Calkins CM, Cowles RA, et al. Parenteral nutrition–associated cholestasis: an American Pediatric Surgical Association Outcomes and Clinical Trials Committee systematic review. Journal of Pediatric Surgery. 2012;47:225–240.

Jeejeebhoy KN. Management of PN-induced cholestasis. Nutritional issues in gastroenterology. Pract Gastroenterol. 2005;24:62-68.

IMeN - Instituto de Metabolismo e Nutrição
Rua Abílio Soares, 233 cj 53 • São Paulo • SP • Fone: (11) 3287-1800 • 3253-2966 • administracao@nutricaoclinica.com.br