logo IMeN

Nutrição no processo de envelhecimento

Nutr. Priscila Moreira*

Dr. Daniel Magnoni**

            Os micronutrientes são elementos fundamentais para a manutenção do bom funcionamento do organismo humano, especialmente, por suas atuações no metabolismo intermediário de inúmeras reações orgânicas e por prevenir e corrigir deficiências específicas que causam danos biológicos.
            A deficiência de micronutrientes é muito comum quando se trata de idosos e pacientes com doenças agudas ou crônicas. Além disso, mesmo as pessoas com consumo energético-protéico adequado, ou os indivíduos obesos, podem ter déficits de um ou mais micronutrientes.
            Sabe-se que o envelhecimento é caracterizado pelo surgimento de muitas doenças e também de infecções que podem causar redução do tempo e da qualidade de vida. Assim, o aporte adequado de micronutrientes na terceira idade é extremamente benéfico, atuando tanto na prevenção como na melhora da resposta ao tratamento de muitas doenças que são constantes nesta faixa etária, auxiliando no envelhecimento saudável e na qualidade de vida.
            De forma regular e em condições satisfatórias de sociabilidade, sabemos que a alimentação adequada, balançada e orientada pode fornecer todos os nutrientes necessários a saúde e a prevenção de doenças.
            No entanto, em situações clínicas especiais, principalmente no grupo de terceira idade, a utilização de suplementos pode ser uma das principais medidas na redução de morbidade e na manutenção de um estilo de vida saudável.
            O fornecimento de micronutrientes, minerais e vitaminas, pode auxiliar na manutenção da resposta imune humoral, redução da osteoporose e controle metabólico efetivo.

casal-idosos-melancia2

 REFERÊNCIAS

  1. Robert Earl. Diretrizes para o planejamento dietético. In: Alimentos, nutrição e dietoterapia. L Kathleen Mahan, Silvia Escott-Stump. São Paulo: Roca, 2005.
  2. WHO. World Health Organization. Vitamin and mineral requirement in human nutrition. 2 ed. Genebra. 2004.
  3. Serracarbassa PD. Vitaminas e antioxidantes na degeneração macular relacionada à idade. Arq Bras Oftalmol, 69(3):443-445, 2006.
  4. Darnton-Hill, I.; Webb,P.; Harvey, P.; Hunt, J.M.; Dalmiya, N.; Chopra, M.;  Ball, M.J.; Bloem, M.W.; Benoist, B.; Micronutrient deficiencies and gender: social and economic costs Am J Clin Nutr 2005;81(suppl): 1198S–1205S.
  5. Bjelacovic G; Nikolova D; Gluud LLi; Simonetti RG, Gluud C.  Mortality in randomized trials of antioxidant supplements for primary and secundary prevention. Systematic review and meta-analysis. JAMA 2007, 297 (8) 842-857.
  6. Heitzer T, Yla HS, Wild E, Luoma J, Drexler H. Effect of vitamin E on endothelial vasodilator function in patients with hypercholesterolemia, chronic smoking or both.J Am Coll Cardiol, 33(2):499-505, 1999.
  7. Dherani MK, Murthy GV,GuptaSK, Young I, Maraini G, Camparini M, Price GM, John N, Chakravarthy U, Fletcher A. Blood levels of vitamin C, carotenoids and retinol are inversely associated with cataract in a north Indian population.InvestOfphtalmol Vis Sci,2008.
  8. Holick, M.F. Vitamin D Deficiency; N Engl J Med 2007;357:266-81.
  9. Wicherts, I.S.; Schoor, N.M.; Boeke, Vitamin D Status Predicts Physical Performance and Its Decline in Older Persons; J Clin Endocrinol Metab 2007; 92: 2058–2065.
  10. Gonçalves LH, Vaz LS,  Buzzi, M. Avaliação dos níveis de hiper-homocisteinemia, vitamina E, selênio, cobre, ceruloplasmina e ferritina em pacientes com diagnóstico de acidente vascular cerebral isquêmico.J Bras Patol Med Lab, (43)1:9-15, 2007.
  11. Galan P, Briancon S, Blacher J, Czernichow S, Hercberg S. The SU.FOL.OM3 Study: a secondary prevention trial testing the impact of supplementation with folate and B-vitamins and/or omega-3 PUFA on fatal and non fatal cardiovascular events, design, methods and participants characteristics.Trials, 9:35, 2008. doi:10.1186/1745-6215-9-35.
  12. Futterleib A & Cherubini K. Importância da vitamina B12 na avaliação clínica do paciente idoso.Scientia Medica Porto Alegre PUCRS, 15(1):  2005.
  13. Nielsen FH,Milne DB,Klevay LM,Gullagher S,Johnson L.Dietary magnesium deficiency induces heart rhythm changes,impairs glucose tolerance,and decreases serum cholesterol in post menopausal women.J Am Coll Nutr 2007;26(2):121-132.
  14. Bo S & Pisu E. Role of dietary magnesium in cardiovascular disease prevention, insulin sensitivity and diabetes.Curr Opin Lipidol2008; 19(1):50-56.
  15. Cohen, D.L.; Townsend, R.R.; What Effect Does Potassium Have on Blood Pressure? J Clin Hypertens (Greenwich). 2008 Feb;10(2):158-9
  16. Cirillo M, Ciacci C, De Santo NG. Age, renal tubular phosphate reabsorption, and serum phosphate levels in adults. N Engl J Med 2008; 359(8):864-6.
  17. Elliott P, Kesteloot H, Appel LJ, Dyer AR, Ueshima H, Chan Q, Brown IJ, Zhao L, Stamler J; INTERMAP Cooperative Research Group. Dietary phosphorus and blood pressure: international study of macro- and micro-nutrients and blood pressure. Hypertension 2008; 51(3):669-75.
  18. Lukaski, H.C. Low dietary zinc decreases erythrocyte carbonic anhydrase activities and impairs cardiorespiratory function in men during exercise. American Journal of Clinical Nutrition, Vol. 81, No. 5, 1045-1051, May 2005.
  19. Wintergerst ES, Maggini S, Hornig DH. Immune-enhancing role of vitamin C and zinc and effect on clinical conditions.Ann Nutr Metab,50(2):85-94, 2006.
  20. Rajpathak S, et al. Selenium and cardiovascular disease in men with diabetes.J Am Coll Nutr 2005;24:250-256.

*Nutricionista Clínica  do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, orientadora educacional do aprimoramento em nutrição clínica.

** Cardiologista e Nutrologo, diretor de Nutrição do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, chefe do serviço de nutrologia e nutrição clínica do HCor, chefe do serviço de terapia nutricional do Hospital Bandeirantes – SP, Presidente do Instituto de Metabolismo e Nutrição - IMeN

IMeN - Instituto de Metabolismo e Nutrição
Rua Abílio Soares, 233 cj 53 • São Paulo • SP • Fone: (11) 3287-1800 • 3253-2966 • administracao@nutricaoclinica.com.br